O futuro da aprendizagem no ensino superior — O que os alunos querem

Futuro da aprendizagem no ensino superior

A tecnologia costuma redefinir como nós fazemos as coisas em nossa vida cotidiana. Embora as instituições acadêmicas tenham mantido seu caráter tradicional, levou apenas um ano de COVID-19 para que a tecnologia mudasse o mundo da educação para sempre.

A pandemia forçou as instituições de ensino superior — muito baseadas em interações tradicionais presenciais — a agarrar quaisquer tecnologias remotas que pudessem ajudar naquele momento.

Os líderes de TI e operações precisaram atualizar rapidamente a pilha de tecnologia das escolas para ajudar professores e alunos a acessar recursos críticos do campus remotamente, em casa, até mesmo durante a noite.

O CEO da Microsoft, Satya Nadella, disse que nós presenciamos dois anos de transformação digital em apenas alguns meses devido à pandemia da COVID-19.

No entanto, à medida que a poeira se abaixa e muitas instituições de ensino superior reabrem as suas portas, elas se deparam com uma grande questão que vai redefinir o futuro da educação:

Devemos voltar para como as coisas eram antes da pandemia ou devemos oferecer opções de aprendizado combinado, nas quais os alunos tem acesso a aulas remotas e locais ao mesmo tempo?

Para responder a essa pergunta difícil, devemos começar nos perguntando o que os alunos querem.

O que os alunos querem — insights de uma pesquisa com alunos realizada pela Splashtop

pesquisa de alunos splashtopPerguntamos a 500 estudantes aleatórios do mundo inteiro qual é o futuro da aprendizagem na opinião deles, incluindo o que as universidades poderiam fazer para maximizar o seu potencial. A maioria das respostas apontavam o desejo de um melhor aproveitamento da tecnologia em ambientes de aprendizagem híbridos.

Os alunos querem “50/50, tanto aprendizagem remota, quanto presencial.”

Nesta mesma pesquisa realizada pela Splashtop,

  • 56% prefere participar de mais da metade das suas aulas online
  • 85% disseram que seriam mais eficientes se tivessem acesso contínuo aos computadores do campus remotamente
  • 83% acham que uma mistura do aprendizado online e no campus é o futuro da educação

Em um comunicado de imprensa recente, avaliamos essas descobertas e descobrimos que os resultados da pesquisa "Futuro da Educação, Splashtop" estão bem alinhados com muitos outros estudos sobre o futuro da educação.

Isso inclui a pesquisa Digital Learning Pulse realizada pela Bay View Analytics, que entrevistou 1.413 estudantes dos EUA matriculados em uma instituição de ensino superior nos semestres do outono de 2020 e primavera de 2021.

A pesquisa Digital Learning Pulse destacou os mesmos pontos; a maioria dos alunos gostaria de ter opções de aprendizagem híbrida e mais tecnologias integradas em seus cursos.

experiência de aprendizagem remota do aluno

* Fonte: Pesquisa Digital Learning Pulse da Bay View Analytics

Aprendizagem Híbrida — O crescente interesse dos alunos

1. Maior flexibilidade para os alunos

Programas de aprendizagem híbrida oferecem mais flexibilidade do que apenas aulas no campus. Ao invés de frequentar as aulas no campus toda semana, os alunos podem realizar mais da metade das suas tarefas de forma assíncrona em um esquema de distribuição híbrido. Esse esquema pode ser uma mistura de aulas online e no local ou aulas híbridas, nas quais os alunos fazem parte dos seus trabalhos online e o restante é realizado no local com seus professores.

De acordo com a Revista Best Schools, o aumento da flexibilidade também permite que as instituições adaptem o ensino aos vários estilos de aprendizagem dos alunos: “Os alunos mais auditivos podem se beneficiar da capacidade de ouvir palestras gravadas, [..] os alunos visuais podem estudar slides no seu próprio ritmo” e “alunos que se beneficiam de reuniões pessoais podem continuar o seu contato com seus instrutores e colegas.”

Em um ambiente de aprendizagem híbrida, os alunos possuem a flexibilidade de acessar recursos do campus remotamente, como os laboratórios de informática, sem precisar sair de casa. Em outras palavras, ambientes híbridos permitem que os alunos se beneficiem do melhor do aprendizado local e remoto ao mesmo tempo.

2. Acesso mais amplo ao aprendizado

Muitos estudantes internacionais tiveram que tirar um ano sabático porque não conseguiam frequentar suas universidades pessoalmente devido às restrições de viagens da COVID-19. Programas de aprendizagem híbrida permitem que esses alunos se matriculem em aulas de aprendizado remoto, independentemente da sua distância em relação ao campus.

Um programa de aprendizagem híbrida facilita a educação contínua durante várias emergências que podem variar de uma pandemia até cenários mais prováveis, como uma nevasca que causa o fechamento do campus. O aprendizagem híbrida abre as portas para estudantes que moram longe do campus e oferece às universidades a oportunidade de aceitar estudantes diversos, já que eles não estão mais presos às suas localizações geográficas.

3. Desenvolvimento da alfabetização digital

Em um ambiente de aprendizagem híbrida, os alunos são expostos a diversas tecnologias que facilitam o aprendizado híbrido.

Essa exposição ocorre quando os alunos usam determinado software para uma tarefa ou aprendem a usar um sistema de gerenciamento online para acessar recursos de aprendizado. Essa experiência também inclui a comunicação e colaboração por meio de tecnologias como o Microsoft Teams ou softwares de acesso remoto aos computadores do campus, como a Splashtop.

Em última análise, essas experiências acumuladas com ferramentas de aprendizagem remota aprimoram as habilidades de alfabetização digital dos alunos, uma habilidade cada vez mais essencial no mundo profissional.

O que o interesse dos alunos pelo ensino híbrido significa para a educação superior

Com um número crescente de alunos demonstrando interesse em programas de aprendizagem híbrida, as universidades devem continuar a incorporar essas iniciativas em seu currículo após a COVID.

Ele não só pode aumentar suas matrículas, mas também melhorar e expandir o acesso ao ensino superior para alunos que não conseguem frequentar as aulas pessoalmente.

De acordo com um artigo da Harvard Business Review, a mudança para a aprendizagem híbrida chegou atrasada: “O ensino superior ficou muito atrás de outras indústrias na corrida por um modelo [..] digitalmente orientado”.

A pandemia mudou a face da educação. Com muitos benefícios claros, as universidades estão na direção de um modelo cada vez mais híbrido.

Montagem de um sistema híbrido para o ensino superior

ambiente de aprendizagem híbridaA configuração de um ambiente de aprendizagem híbrida no ensino superior começa com a pilha de tecnologia certa.

Antes do início da pandemia, instituições de ensino superior dedicavam menos de 5% dos seus orçamentos aos gastos com TI. Os ambientes de aprendizagem híbridos eram muito básicos ou inexistentes. Quando o aprendizado remoto se tornou a norma em 2020, muitas faculdades e universidades se limitaram oferecer aulas e matérias através de ferramentas como o Zoom.

Embora softwares de videoconferência como o Zoom sejam essenciais em um ambiente de aprendizado remoto, eles não são o suficiente.

Além do vídeo, existem quatro tipos de software de aprendizado remoto nos quais as instituições de ensino superior devem investir para criar um ambiente de aprendizagem híbrida eficiente.

1. Sistema de Gerenciamento de Aprendizado (LMS)

Os sistemas de gerenciamento de aprendizagem oferecem aos professores uma maneira de automatizar a entrega do material do curso em um formato virtual. Alguns sistemas de gerenciamento de aprendizagem populares incluem Schoology Learning, Canvas e Blackboard Learn.

2. Software de Colaboração e Coordenação

No aprendizado remoto, coordenar as tarefas de várias pessoas pode ser um desafio. Um software de colaboração pode ajudar alunos e professores a colaborar melhor em um ambiente remoto. Algumas das ferramentas de software colaborativo mais comuns são MURAL, Drawp for School e Loop.

3. Software de Acesso Remoto

Ao estudar em casa, alguns alunos podem não ter as ferramentas de software modernas que precisam; incluindo Adobe, Revit, AutoCAD e Microsoft Office. O software de acesso remoto, como o Splashtop para Laboratórios Remotos, permite que as escolas ofereçam aos alunos o acesso remoto a computadores Windows e Mac a partir dos seus computadores, tablets, Chromebooks e até dispositivos móveis. Como resultado disso, os alunos podem remotamente todos os software do campus de maneira remota, não é preciso comprar licenças adicionais ou se locomover até o campus.

4. Software de Suporte Remoto Sob Demanda

Devido à natureza do ensino à distância, fornecer suporte técnico a alunos e professores pode ser desafiador para equipes de TI acadêmicas. Quando os indivíduos não estão no campus, não há muitas opções para oferecer assistência a problemas técnicos. No entanto, softwares de suporte remoto, como o Splashtop SOS, permitem que os técnicos de TI acessem os dispositivos de alunos e membros do corpo docente remotamente e ofereçam suporte remoto sob demanda.

Embora essa lista não seja muito extensa, ela fornece uma ótima base para a criação de um ambiente de aprendizagem híbrida voltado para ensino superior. À medida que avançamos na direção de um mundo digital impulsionados por uma geração de estudantes muito conectados com a tecnologia, as universidades precisam se adaptar continuamente para permanecerem receptivas a todas as necessidades dos alunos.


Você também pode estar interessado em:

Webinar Sob Demanda — Como maximizar o potencial dos alunos e alcançar a igualdade com a aprendizagem híbrida.

5 Maneiras de Melhorar Programas Educacionais com Acesso Remoto

Pesquisa Splashtop sobre aprendizagem remota durante a COVID-19

Banner de avaliação gratuita no final desta página